sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Papo 100 Censura #52 - Carnaval outra vez?







Olá caros amigos, tudo bem?


Em nosso papo 100 Censura #26 abordamos o tema Carnaval falando sobre a coisificação da mulher brasileira e em como a vida não é como um comercial de cerveja para aqueles que ainda não sabiam disso. Se você não leu pode acessar o texto neste LINK 

Hoje, vários e vários textos depois vou retomar o assunto onde muitos já devem estar pensando: lá vem os crentes chatos e quadrados de novo! Não podem ver ninguém feliz que já começam a julgar. Então vamos lá. Todos somos livres para fazer o que quisermos, certo? Certo... Porém (eu amo os poréns que freiam nossos instintos!) gostaria muito de analisar alguns fatores sobre o que a juventude costuma realizar nesta festa para que você possa tirar suas conclusões. Não vou retomar o discurso que o Carnaval é uma festa que remonta ao festivais de Baco durante os períodos grego e romano, porque não podemos afirmar isso. O que temos hoje é fruto de arranjos da cultura brasileira que desenvolveu seu próprio sistema para esta festa. Partindo do princípio que o carnaval brasileiro é uma festividade nacional sem interferência ou fundamento em outras festas, podemos iniciar nossa análise. Gostaria de falar um pouco sobre o assunto sem utilizar a teologia, apenas batendo um papo sobre cultura com vocês!

Em primeiro lugar este período se apresenta com um escape da rotina que para muitos se mostra enfadonha, chata e sem animação no dia a dia. O clima de animação, alegria, juventude e beleza que os comerciais de TV e músicas que prometem ser os "hits" desta festa mostram uma realidade que não é natural para a grande maioria das pessoas. Neste sentido, a "folia de Momo" é um escapismo para muitos que não encontram a mesma alegria em suas vidas rotineiras. 

Em segundo lugar, as expressões "brincar" ou "pular" o carnaval escondem algo bastante significativo. Utilizar termos que são comuns ao vocabulário infantil, parece uma tentativa de minimizar os reais objetivos dos participantes desta festa. Prova disso pode ser percebido nas letras (se é que podemos chamar de letras de músicas) dos hits de 2016 estão repletos de frases de duplo sentido com conotação sexual muito presente. Os nomes das músicas (?) falam por si mesmas: "Pisadinha" , "Manda Nudes", "Metralhadora", "Pega-Pega", "Descidinha".

As letras são profundas e levam à reflexão filosófica por parte dos poetas pós-modernos que as escreveram com o intuito de facilitar os propósitos do carnaval. (SQN) Gosto muito de tirar as melodias e ler as letras para ver o quão ridículas elas se colocam. Escolhi uma aleatória para demonstrar este princípio. Ajuda bastante no exercício imaginar o Cid Moreira declamando a letra:

Paredão zangado
Grave tá batendo
Médio tá no talo
Corneta tá doendo

Pega metralhadora!
Trá, trá, trá, trá, trá
As que comandam vão no trá
Trá, trá, trá
Trá, trá, trá,trá, trá

Não estamos poupando espaço na coluna, é que a letra é apenas isso...
Na verdade é triste ver que um dos aspectos em que nós somos mais conhecidos no exterior é pela beleza de nossas mulheres (beleza sexual) e por festas que escondem a riqueza cultural que a sociedade brasileira possui. Não quero aqui ofender ninguém que goste ou seja fãs destes grupos, mas é culturalmente muito pobre ver uma letra como essa e ver o sucesso que fazem... será que como sociedade não estamos prontos para um pouco mais de erudição? Sermos um pouco mais exigentes no que diz respeito à nossa cultura que é muito rica e maravilhosa? 

O terceiro ponto referente ao carnaval que gostaria de tratar com vocês tem relação com o sexo casual que é incentivado e até mesmo esperado por muitos foliões.

A AIDS é uma realidade e ainda mata... e em mais um ano, teremos números que não serão muito divulgados e muitos jovens serão pegos por esta desgraça porque durante o carnaval está tudo liberado. A reportagem abaixo mostra que de 2006 e 2015 o número de aidéticos no Brasil cresceu 40% na faixa de jovens entre 15 e 24 anos de idade:

 
Como isso é possível justo na faixa etária mais conectada e instruída que temos? Mesmo assim 12000 brasileiros morrem todos os anos por causa da AIDS contraída não custa lembrar, por transmissão sexual e por uso compartilhado de seringas.

Não estamos levando em conta outras doenças sexualmente transmissíveis como Sífilis, Gonorreia, Herpes, Cancro entre inúmeras outras que podem assolar as pessoas. Em uma pesquisa rápida sobre o assunto na internet, encontrei uma resposta bíblica para a solução do problema de doenças venéreas em um blog sobre saúde, chamado O médico e o paciente


Como prevenir as DSTs
A abstinência, ou não envolvimentos em relações sexuais, é a melhor maneira de impedir a transmissão de DSTs. Se optar por manter relações sexuais, mantenha relações com somente um parceiro(a) e use preservativos de látex com espermicida (camisinha).


Em quarto lugar, todo o Marketing sobre a festa está pautada sobre as grandes empresas de cerveja e destilados que faturam três vezes mais que no restante do ano. O que os comerciais de cerveja não mostram? Que a folia vai causar a morte de 800 a 1000 pessoas nas estradas federais, estaduais e municipais. Fonte: JusBrasil

Poderíamos manter uma lista infinita de outros aspectos que apontam para os efeitos negativos que ninguém estará pensando nestes dias, mas vamos ficar nestes quatro. Se ainda restarem dúvidas, podemos entrar na questão espiritual e teológica da festa. 

Nossa reação como cristãos normalmente é nos refugiarmos em nossos retiros de carnaval para ficarmos alheios e longe de toda esta carnalidade e tentações, mas depois de ver todos estes números terríveis e ter a certeza de que muitos jovens com futuro promissor terão suas vidas ceifadas nestes dias, fico pensando se o melhor lugar para estarmos é em nossas chácaras adorando ao Senhor enquanto o objeto maior de Sua obra redentora, as almas, estão sendo levadas para uma eternidade longe do abraço do Pai. É uma equação ainda sem resposta, que precisa ser resolvida.

Grande abraço a todos vocês, caros amigos do Papo 100 Censura!


Pastor Eduardo Medeiros
 




 

0 comentários:

Postar um comentário

O que você achou disso?

Tecnologia do Blogger.