quinta-feira, 11 de junho de 2015

Paz é melhor que justiça


A Bíblia, quando nos fala sobre os últimos dias, relata uma série de sinais que prenunciariam a segunda vinda de Jesus. E os sinais estão aí: guerras, escassez de alimentos, catástrofes naturais, apostasia, pais contra filhos e filhos contra os pais. Mas um dos sinais que mais evidenciam a aproximação do dia da volta de Cristo, é o aumento da violência. Por instinto, aprendemos a nos defender das ofensas, tanto verbais quanto físicas. 

A pior parte do aumento da violência, é o fato de estar demasiadamente em evidência na mídia. Isso provoca uma indiferença tão avassaladora quanto a própria violência. Pensamos, enquanto assistimos nossa tv: "tá vendo, bem feito, se tivesse em casa cuidando da própria vida, isso não aconteceria!"

"Nos últimos dias o amor de muitos se esfriará". Essa frase nunca fez tanto sentido quanto nos dias atuais. As pessoas só pensam em si mesmas, só pensam em se dar bem mesmo que em detrimento do próximo. Repare nas filas de banco, supermercado, hospitais, nos transportes públicos, como a regra do "olho por olho, dente por dente" parece nunca ter sido revogada. Só se tem apelo ao diálogo quando a força ofensiva não é suficiente para vencer.

Infelizmente, percebemos esse comportamento alterar negativamente a postura dos cristãos. Inventaram até um bordão: Eu sou crente, mas não sou bobo. Eu já usei esse bordão. Cheguei a concordar com ele. Mas, queridos, esse tipo de pensamento é oposição aos ensinamentos de Jesus quando Ele disse para perdoarmos 70x7 vezes, quando Ele nos disse para sermos mansos, quando Ele ofereceu a outra face após um tapa, quando Ele curou a orelha do soldado que viera para prendê-lo, quando Ele pediu ao Pai para perdoar, pois não sabiam o que estavam fazendo. E não parou por aí, por intermédio de Paulo, ensinou para vigiarmos para não pagarmos o mal com mal, principalmente com os que não são irmãos na fé,  procurando fazer o bem em todas as ocasiões (1 Tess 5.15). E em Hebreus 13.16, Deus usa o autor para ensinar que os sacrifícios que agradam a Deus é a prática de ajudar aos outros. E em Tiago 1.19 e 20, o sermão à paz ensina que precisamos ser pessoas prontas a ouvir, mas tardias em ficar com raiva, pois a raiva não produz nada de bom para Deus. 

Você talvez contra argumente "Fábio, você acha que é fácil, simplesmente não ficar com raiva? Você não sabe as coisas que eu passo!" E eu concordo, não sei de sua história, mas sei que Jesus te conhece e deseja implantar o caráter Dele em você. Ore, peça ajuda à Deus, para que em você nasça o fruto do Espírito Santo, chamado "mansidão" (Gálatas 5.19-23).

Deus os abençoe!!!

FÁBIO AUGUSTO

0 comentários:

Postar um comentário

O que você achou disso?

Tecnologia do Blogger.