sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Papo 100 Censura #26 - Carnaval, Mulher, Bebida e uma Reflexão Sincera



       Bom dia boa tarde, boa noite a todos vocês caríssimos amigos do Blog o Jovem e o Mundo! Poderíamos falar hoje a respeito do lançamento do filme 50 tons de cinza, mas acreditamos que já demos o ibope necessário a este filme no papo 100 Censura #10 quando abordamos a questão da literatura erótica. Ainda faremos um post a respeito de como um romance tórrido pode ser inspiração para milhares de mulheres espalhadas pelo mundo. Mas hoje gostaria de falar rapidamente sobre o feriado que está diante de nós: o Carnaval. 
         A primeira questão que pode te estranhar ao ver este post é porque uma imagem do carnaval de Veneza em um texto falando sobre a festa em terras tupiniquins. A resposta é simples, as imagens referentes a Carnaval são uma afronta as mulheres e não merecem ser colocadas neste espaço, um lugar para jovens inteligentes. Não pretendo também expor as bases bíblicas contrárias a participação de cristãos nesta festa porque acredito que isso não seja necessário; Gostaria de abordar apenas alguns aspectos culturais referentes a ela e que podem nos levar a pensar um pouco a este respeito.

      A origem do carnaval vem da própria antiguidade em festas originárias na Mesopotâmia. Embora não fossem festas como as conhecemos hoje, elas tinham a função de subverter os papéis sociais vigentes, onde prisioneiros tinham assumiam o papel de nobres e reis eram destituídos de sua autoridade para estar no meio do povo. E o tempo foi passando e chegamos ao Brasil que importou a festa européia que acontecia em Portugal e o povo brasileiro adaptou as comemorações para sua realização e inseriu na cultura brasileira onde existem manifestações culturais que remontam mais de 200 anos. E isso é muito interessante do ponto de vista antropológico e cultural. O grande problema da festa está na enfase que é atribuída a ela pela mídia e de maneira especial pelos patrocinadores da festa. Dentre inúmeros elementos que poderíamos discutir gostaria de falar sobre dois: a "coisificação" da mulher e a ausência de limites para o consumo de bebidas alcoólicas. 

1 - A coisificação da Mulher

     Todas as escolas de samba tem sua rainha de bateria, uma bela mulher com um corpo escultural que passou o ano inteiro malhando para se apresentar na passarela e passar as próximas semanas sendo analisada pelos sites "especializados" em sub-celebridades. Corpos a mostra para o Brasil e para o mundo, mostrando a mercadoria que nosso país tem de melhor: nossas mulheres. Esta propaganda de que nossas mulheres são fáceis, e clamam por sexo com qualquer um corre o mundo e todos os anos milhares de "gringos" desembarcam em nossas terras a procura de sexo fácil. 
      O movimento feminista pode dizer que é uma escolha da mulher expor seu corpo e que se ela está feliz e bem resolvida com ele está tudo certo porque ela é dona de seu corpo, porém em minha visão, que pode parecer retrógrada, e obsoleta tudo bem, eu gostaria que uma mulher fosse conhecida por seu conteúdo interno, sua inteligência, sua sagacidade, e não simplesmente pelo mérito de ter um corpo nos padrões impostos. O grande problema disto está na formação de uma tendência. Isso passa para as adolescentes e jovens que buscam imitar estes padrões e aproveitam estes "dias de folia" para fazer tudo aquilo que durante o restante do ano não teriam a ousadia de fazer. Sem a coragem necessária para mergulhar no espírito da festa, usam e abusam do álcool para terem suas travas morais soltas por alguns dias. Quanto arrependimento, tristeza e sofrimento acontecem depois quando a consciência é chamada de volta na quarta-feira?
      Muito triste quando vemos que é necessário uma festa deste porte para que exista o espaço para ser aquilo que não é. Gostaria muito que fossemos conhecidos como o país onde temos os homens e as mulheres mais inteligentes, não mais bonitos e sedutores, porque isso, sinceramente é muito raso. Se tudo o que você tiver para oferecer é aquilo que os olhos dos outros podem ver, ou seja seu corpo, isso é muito, muito pouco.

2 - Bebidas Alcoólicas

      O que dizer de uma festa patrocinada por marcas de cerveja? O incentivo para que os jovens bebam até cair é notório através da associação de cerveja, mulheres e homens bonitos, felicidade pode parecer ridículo, mas mostra reflexos nas atitudes dos foliões. Bêbados eles avançam e rompem da civilidade. Vemos todos os anos a linha do tolerável sendo rompida, mulheres beijadas por centenas de homens nos blocos de Salvador, homens avançando sobre elas, elas avançando sobre eles. Limites que são suspensos temporariamente porque na quarta, bem na quarta teremos as cinzas que vão nos purificar de qualquer burrada que fizermos nos quatros dias de reinado de Momo. Correto? Não!!! Redondamente errado!

      Receber uma cruz de cinzas não faz de você um santo, mas um coração arrependido sim! Não adianta nada pecar e achar que um simples ritual vai purificar o seu coração. Neste sentido, é necessário evitar o pecado e as tentações que acontecem. A realidade apresentada pelos comerciais de bebida mostram jovens lindos felizes com a vida como na foto abaixo:



     Porém a realidade é muito mais amarga que a vida real:



     Ouvi um relato de um jovem na casa de seus 17 anos respondendo quando perguntei porque ele bebia que dizia mais ou menos assim:

- Ah pastor eu bebo para ficar doidão... assim eu consigo chegar nas meninas... e todo mundo gosta de mim quando estou bêbado...

      Foi a resposta mais triste que já ouvi em toda minha caminhada pastoral. Vejo uma geração sem propósito, sem objetivos, sem perspectivas de vida e de futuro. Além disso uma geração extremamente solitária e carente de relacionamentos verdadeiros, possuem milhares de amigos virtuais, porém nenhum real de carne e osso. E é neste ponto que a igreja tem errado com a juventude... nós temos aquilo que preenche o interior das pessoas e é Jesus Cristo! Se elas ainda precisam de outras coisas para sentirem-se felizes é porque não temos cumprido nosso papel de ser sal e luz no mundo.

        Quando pensar no que vai fazer neste feriado, lembre-se do que o apóstolo Paulo disse à igreja em Corinto:

"Tudo é permitido", mas nem tudo convém. "Tudo é permitido", mas nem tudo edifica. 1 Coríntios 10:23

         Precisamos estar atentos para o limite do que permitimos que o mundo entre em nossas vidas, pois estamos perdendo a noção de certo e errado, luz e trevas e misturando tudo em "Tons de Cinza". 

Grande abraço a todos nossos amigos e desejamos um excelente final de semana para vocês!

Pastor Eduardo Medeiros





3 comentários:

Mariana F. disse...

Gente, que texto massa! Parabéns pelo post excelente. A paz!

Eduardo Medeiros disse...

Mariana, muito obrigado pelo seu comentário! Escrevemos para que vocês tenham informação e um pouco de descontração também, à luz da Palavra de Deus! Grande abraço!

Eduardo Medeiros disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

Postar um comentário

O que você achou disso?

Tecnologia do Blogger.