quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Parabolando #16 - Ultron



 Bom dia a você nosso querido amigo e amiga ligado no universo Geek que acompanha nossa coluna Parabolando! Que nosso Deus conceda a você e a toda a sua família um dia glorioso em Sua Presença!

Aproveitando o frisson que o novo filme dos Vingadores está causando nas redes sociais, vamos falar hoje um pouco sobre o inimigo dos heróis em Vingadores 2: Ultron.

Ultron, é um robô criado pelo doutor Henry Pym, a partir de sua própria rede neural. A experiência era conceder ao artefato a mesma capacidade de adquirir consciência e poder aprender a partir de seus próprios erros, como os humanos. Inseriu esta mentalidade humana em Ultron a partir de um corpo derivado do Adamantium, o metal mais resistente que existe. Tudo vai bem até que esta consciência se rebela contra seu criador e passa a buscar a aniquilação da raça humana, onde tudo o que impede Ultron de alcançar seus objetivos são os Vingadores. O filme vai mostrar um destes confrontos, porém no universo Marvel, ele é um dos maiores inimigos do grupo e, como você sabe, em se tratando de HQ, ninguém permanece morto ou destruído por muito tempo. Uma característica importante sobre Ultron, é que ele aprende com seus erros, e a partir deles, se adapta para enfrentar seus adversários, tornando-se mais forte que no confronto anterior. A partir disso, seus inimigos precisam mudar sempre suas estratégias de ataque para conseguir detê-lo, com constantes sacrifícios de heróis para que Ultron seja derrotado.


Neste dia podemos aprender com a breve história de Ultron, que precisamos tomar muito cuidado com aquilo que construímos. Você pode não construir um robô de alta tecnologia como Henry Pym fez, mas pode ter certeza de que a cada dia, você constrói artefatos que podem trazer alegria, ou tristeza para aqueles que recebem o que foi construído. Estas construções são nossas palavras que podem na mesma medida engrandecer, alegrar, e trazer vida para pessoas, ou podem diminuir, entristecer e matar emocionalmente outras pessoas. Só temos o controle de nossos pensamentos enquanto eles estão seguros em nossa mente. A partir do momento em que deixamos que saia de nossa boca, perdemos totalmente o controle sobre o resultado que elas atingirão. As vezes queremos dizer A, mas a maneira como dizemos faz com que as pessoas entendam B, simplesmente não temos controle... Quanto mais falamos, aumenta a probabilidade de falarmos bobagem. 

Algum sábio um dia disse que devemos ouvir o dobro do que falamos, pois temos dois ouvidos e uma boca. Muitos se arrependem de coisas que foram ditas em momentos de raiva ou ira, tudo porque talvez falte um pouco de domínio próprio para controlar sua boca. Vamos orar para que o Senhor possa nos trazer sabedoria para conter nossos pensamentos e podermos compartilhar com os outros apenas palavras que edifiquem, e não que destruam. A Bíblia diz que vida e morte estão no poder da Língua, e acredito muito neste princípio. A partir de nossa escolha, podemos abençoar alguém ou amaldiçoar alguém. 

Faça este teste esta semana: coloque diante de Deus a vontade de abençoar ao menos uma pessoa ao longo de seu dia, seja com um elogio sincero, uma oração, um bate papo. Você verá que seu dia também ficará muito melhor!

Escolha bem as palavras que você usa com as pessoas a sua volta e não permita que pequenos Ultrons sejam criados por você e que depois você não os possa mais controlar e voltem para te atacar! Seja feliz!



Referências Bíblicas:


O falar amável é árvore de vida, mas o falar enganoso esmaga o espírito. Provérbios 15:4


A língua mentirosa odeia aqueles a quem fere, e a boca lisonjeira provoca a ruína. Provérbios 26:28 


Há palavras que ferem como espada, mas a língua dos sábios traz a cura.Provérbios 12:18


Pastor Eduardo Medeiros

0 comentários:

Postar um comentário

O que você achou disso?

Tecnologia do Blogger.