quarta-feira, 11 de junho de 2014

Parabolando #8 - Jogos Vorazes



 

Jó napot kivánok a todos nossos leitores! Quem adivinha a língua de hoje em nossa série de cumprimentos missionários? Hoje na coluna Parabolando, uma releitura texto do longínquo ano de 2013 também conhecido como ano passado muito pertinente para o período de Copa do Mundo e de toda a alienação social que ele traz na eterna política do Pão e Circo celebrada desde o início da presente era, onde a diversão aliena a massa e mantém a grande parcela da população alheia aos problemas sociais de nosso tempo.

The Hunger Games é o primeiro livro de uma trilogia escrita pela norte americana Suzanne Collins em 2008. Ele narra a trajetória de Katniss Everdeen em um mundo futurístico pós-apocalíptico em uma nação chamada de Panem. Este país era dividido em treze distritos, até que o décimo terceiro deles se rebelou contra o governo da Capital e foi exterminado pelo governo em um evento conhecido como Dias Escuros.
A partir deste momento, anualmente o governo realiza uma espécie de reality show onde dois jovens de cada distrito (um rapaz e uma moça entre doze e dezoito anos) são sorteados para lutarem até a morte em uma arena para que reste apenas um lutador. O evento é transmitido para todos os distritos ao vivo e tem o objetivo “oficial” de comemorar o fim da rebelião e a paz estabelecida no país e o objetivo real de impedir que novos levantes aconteçam contra o governo totalitário.
                Para aqueles que leem além das entrelinhas, é possível perceber uma crítica a sociedade de consumo, em especial a americana, e a banalização da vida humana através da cultura do reality show estabelecida na virada do milênio. Com a indústria do entretenimento que lucra bilhões todos os anos em propagandas daquilo que devemos consumir e o que devemos usar, não consigo deixar de pensar que somos manipulados assim como o povo da Capital, estereotipado com seus cabelos coloridos e roupas extravagantes. Fazemos aquilo que a mídia diz que pessoas felizes fazem, comemos aquilo que a mídia diz que pessoas felizes fazem, vestimos aquilo que a moda diz que devemos vestir. Isto é realidade? Questão para nossa reflexão de hoje neste momento em que o nosso pais vai parar para assistir a Copa do Mundo. Preste atenção aos comerciais, as propagandas e saiba que milhões de reais serão gastos para que você assista a coisas das quais não precisa e que passará a precisar à medida em que assistir à propagandas muito bem feitas pelos gurus do marketing.

                No âmbito de nosso objetivo com esta coluna, nossa caminhada cristã encontra a mesma ameaça que os habitantes dos doze distritos viviam através dos Jogos Vorazes. Nem sempre vamos vencer nossas batalhas, algumas vezes teremos desilusões e frustrações, mas devemos continuar caminhando. Nosso inimigo é especialista em nos fazer lembrar de eventos frustrantes do passado, sob o falso argumento de nos proteger de decepções futuras, quando na realidade o objetivo é nos prender ao passado para nos impedir de vislumbrar o novo de Deus. Encare os desafios e frustrações como algo que o fortalecerá para o futuro, use as pedras como degraus para subir mais alto e atingir novos objetivos em Cristo!

Referências Bíblicas:
Mas a mulher de Ló olhou para trás e se transformou numa coluna de sal. Genesis 19:26
Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, Filipenses 3:13
Sustenta-me, segundo a tua promessa, e eu viverei; não permitas que se frustrem as minhas esperanças. Salmos 119:116 

Pastor Eduardo Medeiros


0 comentários:

Postar um comentário

O que você achou disso?

Tecnologia do Blogger.