sexta-feira, 11 de novembro de 2011

[PARTE 1] Carta de Deus a um Pecador.

Queridões, bom seria se pudéssemos mergulhar no coração de Deus e entender o que Ele sente quando vê um pecador que precisa dEle mas não reconhece isso.
Quero tentar viajar um pouco, vamos comigo?


Já faz muito tempo que eu vinha lutando para atraí-lo a mim!
As vezes eu o olhava e percebia a sua ignorância, sua tristeza, suas decepções e desejava ajudá-lo... mas você nunca me levava a sério, sempre queria satisfazer seus desejos e nada mais.
Você se lembra do vazio que angustiava sua alma? Eu também me lembro. A seu lado eu queria ajudá-lo sem que você soubesse. Você se lembra daqueles problemas seríssimos em que se envolveu? Bem sei como foi ruim e causou terríveis consequências. Ainda a seu lado eu queria ajudá-lo, instruí-lo e livrá-lo, porém, você tapava seus ouvidos sem aceitar minhas instruções; pensou que era muito inteligente e não precisava de conselhos.


E naqueles dias estava cercado por muitas pessoas sorrindo e expressando alegria, contudo sentia-se só; na realidade, seu sorriso era uma hipócrita máscara que encobria a tristeza inexplicável que o queimava por dentro... Sabe, eu estava lá vendo sua guerra íntima e querendo que você soubesse que a minha paz eu dou, e não é como o mundo a dá.
Lá estava eu olhando para os seus olhos e amando-o, querendo que você soubesse que a verdadeira alegria não está nos prazeres da vida, mas no fato de me conhecer e ter como amigo e Senhor.
Eu sabia que você não era feliz e desejava com toda a sinceridade alcançá-lo com a alegria do céu. Também me lembro das decepções que você teve. Tudo indicava que aquela pessoa era sua amiga, você a admirava e até arriscava a confiar nela.

Ela era agradável e lhe transmitia amor, bom senso e segurança. Com o tempo ela se tornou tão importante que passou a fazer parte da sua vida e de seus pensamentos, então você a amou... Mas, o colorido do sol se apagou sem que você soubesse o porquê!
Quando você percebeu o seu semi-deus que tanto cultivou a sua confiança, ele lhe deu as costas e o decepcionou.
Então a negridão assolou o seu mundo interior, levando-o a se isolar e a sentir tristezas e angústias sem fim. Seu ego nocauteado dizia-lhe que o amor não existe e a revolta mais uma vez colocava um véu negro por cima do desejo de amar e ser amado.

Filhinho meu, lá também eu estava! Mesmo que as nuvens negras o sufocavam, a minha luz iluminava ao seu redor como querendo dizer: "Não chore, eu sou a Luz que não se apaga!" Eu o olhava e chorava junto com você, tentando dizer: "Não chore, existe um amigo que o ama e nele você pode confiar".
O amor dos homens é falho, porém o meu amor é infalível. O meu amor não se baseia em interesse próprio.
Tentei muitas vezes fazer você entender que o amor existe e que EU SOU este amor; mas você não me ouviu! Esqueceu-se de mim e não me buscou.

Lembro-me daqueles dias que você começou a pensar em mim, entendeu que eu existo e até desejou me conhecer. Era eu visitando e lançando em sua mente a minha mensagem, tentando atraí-lo a mim. Mas logo em seguida você balançou a sua cabeça e jogou fora aquelas idéias diferentes que estavam chegando, e naquele momento eu percebi que não havia lugar para mim.

Chorei, por te amar eu chorei...



PARTE 02 -  
clique aqui

0 comentários:

Postar um comentário

O que você achou disso?

Tecnologia do Blogger.